Brasileira de 21 anos vence prêmio da ONU sobre defesa do meio ambiente

O projeto da jovem - o Aqualuz - purifica água por meio de radiação ultravioleta através de um aparelho acoplado a cisternas e reservatórios de água usados comummente nas regiões semiáridas do Brasil.

Fonte: Noticias ao minuto - Em Geral - 18/09/2019 10h 26min

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Brasileira de 21 anos vence prêmio da ONU sobre defesa do meio ambiente

Anna Luísa Beserra foi uma das vencedoras do prémio Jovens Campeões da Terra, atribuído pelas Nações Unidas a jovens ambientalistas empreendedores, entre 18 e 30 anos, pelo empenho na proteção do meio ambiente.

O projeto da jovem brasileira com apenas 21 anos - o Aqualuz - purifica água por meio de radiação ultravioleta através de um aparelho acoplado a cisternas e reservatórios de água usados comumente nas regiões semiáridas do Brasil, eliminando 99,9% das bactérias sem a utilização de qualquer produto químico, destaca o portal das Nações Unidas.

No universo da lusofonia, a bióloga e exploradora angolana Adjany Costa, com 29 anos, foi outra vencedora do prêmio Jovens Campeões da Terra, tendo sido distinguida pelos seus esforços de conservação de água e biodiversidade em Angola.

Cada um dos sete vencedores do prêmio criado pelo Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA), receberá 15 mil dólares (13,58 mil euros) para desenvolver o respectivo projeto e 9 mil dólares (8,15 mil euros) para investir em comunicação e comercialização, para além de formação, orientação e "convites para participar em reuniões de alto nível da ONU", segundo o portal da ONU News.

O PNUA compromete-se ainda a documentar e a atualizar regularmente nas redes sociais através de notícias e vídeo-blogues ao longo do próximo ano as "iniciativas criativas, inovadoras e impactantes dos campeões".

Em declarações à ONU News, Anna Luísa Beserra manifestou a esperança de que o prêmio permita maximizar os resultados do projeto, "com mais exportações, mais avanços na tecnologia, tudo voltado para beneficiar as pessoas que mais precisam no semiárido [região brasileira] do acesso à água potável".

A "campeã" brasileira considera ainda que o prêmio oferece a oportunidade do seu projeto se expandir para África e Ásia. "Já disse para a equipe que a gente vai levar uma unidade na mala para poder entregar a alguém que possa levar e implantar em algum país do continente africano. Eu já estou mirando, na verdade, uma ganhadora da África, que é uma angolana. Vou tentar fazer contato com ela e convencer ela a nos ajudar a expandir o Aqualuz e a tentar salvar vidas na África", afirmou à ONU News.

A bióloga angolana Adjany Costa foi distinguida pelo seu trabalho com a comunidade Luchaze nas terras altas do leste angolano, ameaçadas por práticas insustentáveis que ameaçam a sua subsistência, após uma guerra civil que durou três décadas, e a remoção das minas terrestres da floresta de Miombo.

À medida que as comunidades retornam às suas terras de origem, proteger a floresta de Miombo, que retém água e alimenta e a biodiversidade, é fundamental para proteção ambiental, destacou a ONU.

O prêmio Jovens Campeões da Terra deste ano distinguiu sete projetos de jovens empreendedores de África, América do Norte, América Latina e Caribe, Ásia e Pacífico, Europa e Ásia Ocidentale será entregue durante a cerimônia dos Campeões da Terra em Nova Iorque, no próximo dia 26 de setembro, coincidindo com a reunião anual da Assembleia Geral das Nações Unidas e a Cimeira de Ação Climática.

O prémio é concedido pelo PNUA e oferecido pela Covestro, uma das maiores empresas de fabricantes de polímeros do mundo. 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
COMENTE
COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu. A DIREÇÃO