Agente penitenciário que atacou médico com soda cáustica em RO é condenado a 5 anos de prisão

Oziel Araújo Fernandes foi condenado por tentativa de homicídio privilegiado qualificado e deve cumprir pena no regime semiaberto. Caso aconteceu no dia 6 de março de 2019

Fonte: G1 - Em Justiça - 15/08/2019 07h 16min

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Agente penitenciário que atacou médico com soda cáustica em RO é condenado a 5 anos de prisão
Médico Gladson Siqueira — Foto: Arquivo Pessoal

O agente penitenciário Oziel Araújo Fernandes foi condenado na noite desta quarta-feira (14) a 5 anos de prisão pela tentativa de homicídio do médico infectologista Gladson Siqueira. O julgamento teve início por volta das 9h na 1ª Vara do Tribunal do Júri em Porto Velho.


Oziel atacou o médico com soda cáustica no estacionamento do Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) no dia 6 de março de 2019 e foi condenado por tentativa de homicídio privilegiado (sob o domínio de violenta emoção) qualificado (pelo meio cruel). Ele deve cumprir a pena em regime semiaberto.


Estavam previstas para serem ouvidas oito testemunhas ao longo do dia. Três representantes do Ministério Público de Rondônia (MP-RO) acompanharam o júri popular. O corpo do júri foi formado por quatro homens e três mulheres.


Não foi permitido que a imprensa fizesse imagens do plenário do Tribunal do Júri porque o processo tramita em segredo de justiça.


A defesa de Oziel ainda não se posicionou sobre o caso devido o processo se encontrar em segredo de justiça.
 

Ataque
 
O médico infectologista Gladson Siqueira foi abordado e atacado com soda cáustica dissolvida em água no dia 6 de março deste ano quando chegava para trabalhar no Cemetron, em Porto Velho.

A polícia apurou que o agente penitenciário Oziel Araújo Fernandes premeditou o ataque ao médico. Testemunhas disseram que ele chegou de moto e parou ao lado do carro do médico. Após conversarem, ele jogou o produto na vítima, que estava armada e reagiu atirando contra o acusado.


O médico foi socorrido ao Hospital de Base com ferimentos no rosto. Já Oziel foi ferido no ombro e fugiu.


Horas depois ele se entregou na delegacia de homicídios e confessou o crime alegando motivos passionais. Desde então, ele segue preso preventivamente.
No dia 20 de maio, a Justiça decretou sigilo no caso para preservar a intimidade dos envolvidos, levando em conta o suposto caráter passional do crime.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
COMENTE
COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu. A DIREÇÃO