É proibido morrer nesta cidade da Noruega. Saiba por quê

Longyearbyen é a única cidade do mundo a possuir a peculiar lei que proíbe as pessoas de morrerem. Quem desrespeita a lei é enterrado em outro lugar.

Data: 13/06/2018 11h 17min
Fonte: R7
É proibido morrer nesta cidade da Noruega. Saiba por quê

A cidade de Longyearbyen, no litoral da Noruega é o território habitado mais próximo ao polo norte do planeta. É uma típica cidade fria da Noruega, com suas casas coloridas e renas pelas ruas. Mas Longyearbyen tem um detalhe que torna esse pedaço de terra único no mundo: lá é proibido morrer!

No município que possui placas alertando para o perigo de encontro com ursos polares, há uma lei que proíbe a morte. Caso um dos 1000 cidadãos que vivem lá morra, a pessoa é levada para ser enterrada em outra cidade.

Tudo começou há cem anos, em 1918, quando uma epidemia da gripe espanhola dizimou parte da população. Contudo foi descoberto muitos anos depois que os corpos enterrados ali não se decompuseram e a doença poderia voltar a assolar o mundo

Em 1998, Kirsty Duncan, pesquisadora da Universidade de Windsor, no Reino Unido descobriu que uma das vítimas da epidemia de gripe espanhola tinha conservado o vírus em seu corpo.

Isso acontece porque o solo de Longyearbyen é uma camada da permafrost. A permafrost é definida como qualquer material terrestre que permaneça a 0°C ou abaixo dessa temperatura por pelo menos dois anos consecutivos.

Como o solo é congelado, a decomposição dos corpos não acontece. Tanto que o cemitério da cidade ainda abriga os restos mortais das pessoas que foram vitimadas pela gripe espanhola há um século.

A cidade é um ótimo destino turístico para quem gosta de renas passeando pelas ruas e muito frio. As temperaturas médias em fevereiro são de -17 ºC, mas há registros de anos em que a mínima despencou para -46,3 ºC na mesma época do ano. Só não pode morrer de frio.

 

Comente

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros.
O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu. A DIREÇÃO

Outras Notícias